Copiar Link
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Facebook

Planejamento Operacional: essencial para alcançar as metas e objetivos da sua empresa!

Saiba como o planejamento operacional pode ser um grande aliado para a melhoria de processos e resultados na sua empresa.

Por Equipe iFood Benefícios

O planejamento operacional faz parte da rotina de empresas que desejam crescer no mercado e oferecer um bom serviço ou produto para os seus clientes. É muito difícil encontrar grandes corporações que não executam constantemente esse tipo de planejamento.

Para entender melhor como ele funciona, continue a leitura e confira todas as informações que separamos para você!

Índice:

O que é Planejamento Operacional?

Podemos dizer que o planejamento operacional faz parte do “guarda-chuva” do planejamento estratégico. Isso quer dizer que, ao traçar uma estratégia, o planejamento operacional entra como uma das fases desse processo.

Dessa forma, podemos definir o planejamento operacional como a estruturação do plano de trabalho diário, determinando fluxos e entregáveis ao longo do tempo. Com isso, seu papel é repartir as metas e objetivos em pequenas tarefas executáveis.

Como funciona o Planejamento Operacional?

Executivos reunidos para fazer um planejamento operacional

Geralmente o planejamento operacional é feito a partir das definições mais estratégicas da empresa. Com isso, os gestores possuem a responsabilidade de passar adiante os objetivos e metas da organização, e orientar os demais colaboradores a elaborarem as tarefas a serem executadas.

A partir disso, os colaboradores criam um plano de trabalho para as tarefas do dia a dia, ou seja, definem como prosseguir com os processos operacionais. Assim, detalha-se como será feito, quem será o responsável, qual o prazo para a execução, qual o investimento, quais ferramentas serão utilizadas, entre outros.

Um bom planejamento operacional é essencial para o crescimento da empresa. 

Conheça a importância e o porquê colocar em prática!

Através do planejamento operacional, os times e, principalmente, os gestores, conseguem ter uma maior clareza sobre o desempenho das atividades executadas e seu impacto no negócio.

Assim, é possível identificar melhorias, gargalos e a receita gerada por cada atividade. O acompanhamento de dados em tempo real permite que os processos sejam otimizados constantemente, a fim de atingir as metas e resultados esperados.

Além disso, o planejamento operacional serve como um provisionamento financeiro, ou seja, a gestão consegue prever e controlar os investimentos e a receita gerada a partir deles. Com isso, o futuro da empresa não conta com surpresas desagradáveis na sua saúde financeira.

Planejamento Operacional, Estratégico e Tático: qual a diferença?

Ouvimos falar bastante sobre esses três conceitos e podemos ter dúvida a respeito dos seus significados. Confira a seguir as características de cada um deles.

Planejamento Estratégico

Quando pensamos em metas a longo prazo, bastante ligadas ao posicionamento da marca no mercado, pensamos em planejamento estratégico. Geralmente ele visa períodos mais longos, de cinco a dez anos, com projeções sobre o futuro da empresa.

Planejamento Operacional

Esse planejamento, como falamos, visa organizar as atividades diárias e de cunho operacional. Com isso, seu objetivo é traçar um plano de ação para curto prazo, ou seja, entre um e seis meses. Nesse sentido, um RH Estratégico é essencial para se ter tomadas de decisões mais assertivas para a empresa. 

Planejamento Tático

Por fim, o planejamento tático é a intersecção entre o operacional e o estratégico. Isso porque ela visa o médio prazo — entre um e quatro anos — com o objetivo de medir resultados e desenvolver ações para melhorar a performance das equipes.

Saiba como colocar o Planejamento Operacional em prática

Pessoas reunidas discutindo o Planejamento Operacional da empresa

Afinal, por onde começar um planejamento operacional na minha empresa? A seguir, separamos algumas dicas do que fazer para colocar esse plano em prática!

Faça um mapeamento das dores da empresa

O primeiro passo é identificar as lacunas e travas internas da empresa. Existem falhas em processos internos que, se tiverem a atenção necessária e um bom planejamento, podem melhorar e trazer retornos positivos para a corporação. 

Portanto, faça um levantamento, produza pesquisas internas, converse com os colaboradores e gestores para ter um mapeamento completo do cenário atual.

Tenha claro os objetivos e metas a serem alcançados

Saber onde a empresa está e onde ela quer chegar é essencial para começar qualquer planejamento. Para oferecer grandes soluções aos clientes, é preciso, primeiramente, ter o básico bem feito. 

Com isso, temos o planejamento operacional como uma ferramenta estratégica para melhorar processos básicos e rotineiros. Ao definir objetivos e metas, fica mais fácil entender o caminho a ser percorrido.

Elabore um bom Planejamento Estratégico

Antes de qualquer coisa, é preciso ter clareza do planejamento estratégico da empresa, ou seja, dos seus objetivos a longo prazo. Se a empresa ainda não tiver isso definido ou está em um período de renovação das suas metas, busque finalizar esse processo antes de dar início ao planejamento operacional.

Estabeleça cada pessoa que será envolvida no projeto

Para que um planejamento flua, é necessário que existam pessoas-chave para ajudar na elaboração e conclusão do projeto. Com isso, defina quem serão os responsáveis por cada parte do projeto e por orientar os demais colaboradores na execução do planejamento operacional.

Determine quanto tempo tempo e qual o valor poderá ser gasto

O planejamento operacional tem duração máxima, em média, de até 6 meses. A empresa precisa definir esse fluxo para que o projeto orçamentário se estabeleça dentro dessas diretrizes. Portanto, a alta gestão, geralmente, define esse prazo e repassa para o time financeiro calcular as expectativas de gastos durante esse período.

Utilize indicadores de performance

Os chamados indicadores-chave de desempenho, ou KPIs, e os OKRs (objectives and key results) são importantes para medir o desempenho das ações planejadas. Portanto, definir e acompanhar esses indicadores é importante para identificar melhorias e oportunidades de crescimento, além de barrar atividades que não estão dando certo.

Faça o gerenciamento de risco

O papel do planejamento, além de organizar, é também prever cenários. Através dele é possível fazer o que chamamos de gerenciamento de risco, ou seja, identificar problemas que podem acontecer, criar mecanismos para evitar ou para lidar com a situação.

Portanto, usar da experiência para gerenciar riscos e contratempos é um caminho importante e que precisa ser documentado.

Exemplos de metas para o Planejamento Operacional do RH

O planejamento operacional precisa visar uma ou mais metas de curto prazo. Dentro do mundo corporativo, principalmente no setor de Recursos Humanos, encontramos algumas com mais frequência. Confira quais são.

Redução da taxa de turnover

Reduzir a taxa de turnover é diminuir a rotatividade de funcionários, ou seja, evitar aumento nas demissões durante um determinado período. Isso é saudável para empresas em diversos aspectos, pois mostra que as pessoas gostam de trabalhar nesse ambiente e evita gastos altos com demissões constantes, além de trazer uma imagem ruim para o mercado.

Aumento da retenção de talentos

Não basta só diminuir o turnover, é preciso pensar em ações para reter talentos tão disputados no mercado de trabalho. Dessa forma, o planejamento envolve criar ações para tornar a marca empregadora mais forte e atrativa, sendo um conjunto de ações sobre cultura, plano de carreira, remuneração e valorização profissional.

Melhora do employer branding

Como falamos, a marca empregadora é um aspecto relevante atualmente, principalmente em uma geração que busca bem-estar no trabalho. Com isso, o planejamento operacional pode ter o employer branding como estratégia e se segmentar em diversas outras competências, como o endomarketing, educação corporativa e o employee experience.

Melhora do employee experience

O employee experience diz respeito sobre os sentimentos dos colaboradores acerca da empresa, principalmente sobre a sua cultura organizacional, seu ambiente de trabalho, seu plano de carreira, ferramentas de trabalho e benefícios corporativos.

Se a sua empresa busca melhorar qualquer um dos aspectos citados acima através de um planejamento operacional, um dos itens que deve constar é a elaboração de um pacote de benefícios mais completo para os seus colaboradores.

Para otimizar essa jornada, o iFood Benefícios criou o cartão multibenefícios com a bandeira Elo, para que todos os colaboradores possam ter, em um só lugar, diversos benefícios.

Conheça mais sobre os benefícios do iFood e como podemos ser um aliado das suas tarefas operacionais diárias!

Compartilhe esse post

Copiar Link
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Facebook
Gente e gestão

Equipe iFood Benefícios

3 de Maio de 2024

Leitura de 7 min